Informativos

Como ter a tecnologia como aliada evita procrastinação

O hábito de adiar tarefas tem se tornado cada vez mais comum. Frases como “amanhã eu consigo”, “faço mais tarde”, “preciso de um dia de 30 horas” soam cada vez mais comuns hoje em dia. Atualmente – tempo em que a sensação de velocidade é cada vez maior e em época em que aplicativos para alta performance e gestão de tarefas prometem auxiliar o ser humano – o ato de procrastinar (ou seja, deixar tarefas para depois) pode até mesmo agravar quadros de saúde graves como o de depressão. Mas saiba que a tecnologia como aliada evita procrastinação.

Segundo o criador do curso “Lidando com o Caos – da procrastinação à Produtividade”, Eduardo Granado, o ato de navegar na internet pode se tornar uma das maiores distrações atuais. Para o especialista, situações de procrastinação, como dar uma olhadinha nos aplicativos de mensagens e redes sociais se torna hábito tão comum que algumas pessoas não percebem o tempo passar. “Essas espiadinhas nas redes sociais chegam a ultrapassar 5 horas durante o dia. É um tempo precioso que toma o lugar de tarefas que poderiam ser realizadas em prol do objetivo de cada um, como aprender inglês, tocar um instrumento, ver um filme ou ler um livro”, diz Granado.

Em entrevista, o especialista em produtividade dá dicas sobre como vencer a tentação de deixar as coisas para depois e ter a tecnologia como aliada para evitar a procrastinação e atingir objetivos pessoais.

Como a tecnologia como aliada evita procrastinação

O ato de “deixar para depois” pode mesmo fazer mal à saúde?

Eduardo Granado – O ato de deixar para amanhã o que poderia ser feito hoje pode parecer banal e apenas atrasar entregas de trabalhos, por exemplo. Mas, na verdade, a procrastinação pode até mesmo impulsionar quadros críticos como insônia, depressão e levar a situações de dependência química.

Ser procrastinador pode levar as pessoas a se esconderem nos problemas que estão sendo causados por elas mesmas. Algumas acreditam que uma simples vontade de ficar na cama, de ficar um pouco sozinho ou até mesmo de não querer companhia de amigos e familiares pode ser somente um momento da vida, por ter muitas coisas para resolver e acabar não achando uma saída. Nesta ação pode estar escondido o ato de deixar a consulta ao psicólogo para depois ou até mesmo não procura nenhum tipo de cuidados. E o que foi procrastinado por muito tempo (ida a algum especialista, por exemplo) pode significar um quadro de depressão profunda.

Mas procrastinar é um ato que sempre existiu ou tem aumentado hoje em dia?

Eduardo Granado – Uma pesquisa feita na Alemanha, mostra que pessoas que têm este mal hábito têm mais chances de mentir, dar desculpas ou até mesmo falsificar dados para compensar o tempo perdido. Já o professor Piers Stell, do Grupo de Pesquisas de Procrastinação da Universidade de Calgary, no Canadá, acredita que adiar obrigações faz parte da arquitetura do cérebro. É uma batalha entre o córtex pré-frontal, a região envolvida no planejamento de comportamentos e na solução de problemas, com o sistema límbico, que procura a gratificação imediata. A busca pelo trabalho perfeito, porém, esbarra nas inúmeras distrações proporcionadas pela internet. A internet estimula a procrastinação.

De que maneira a internet pode agravar este quadro?

Eduardo Granado – Enquanto se responde um e-mail existem outras telas abertas com assuntos ligados ao trabalho e quando menos se espera, estamos vendo diversas outras coisas que não fazem parte do trabalho ou do objetivo da pessoa. E nisso já se passaram alguns minutos, ou até mesmo algumas horas. Por não conseguir realizar todas as tarefas a tempo, algumas pessoas acabam tendo insônia, achando que dormir é perda de tempo e precisam recuperar o que não foi feito durante o dia, à noite, levando problemas de saúde, em alguns casos até mesmo dependência química, para ficar acordado por mais tempo e “aproveitar” o tempo perdido.

Mas como evitar isso?

Eduardo Granado – Tudo tem solução. Na realidade, a internet é pode ser um grande aliado para se evitar a procrastinação e buscar atingir alta produtividade. Há uma série de aplicativos de gestão de tempo e de tarefas que cumprem um pouco esta função de a internet servir como instrumento para o aumento da produtividade. Mas além disso, há muito conhecimento na rede, acesso à informação, cursos. Uma das coisas que acredito que irá ajudar a pessoa a ser mais produtiva é identificar se ela é ou não procrastinadora. Ter clareza da atual situação é o primeiro passo a ser dado. No meu site você poderá baixar gratuitamente um teste para saber em qual nível de produtividade você está. Basta acessar o link : https://edugranado.com.br/testedeprodutividade.

E existe alguma dica para manter esta atenção?

Eduardo Granado – No final das contas, não devemos nos cobrar tanto, mas é necessário estarmos atento aos nossos hábitos para que a procrastinação não se transforme em um grande problema. Ter clareza se você é ou não um procrastinador, já é um primeiro passo muito importante. Saber lidar com o aparente caos do mundo conectado é uma habilidade possível de aprender de modo dinâmico e ágil. É isso que busco transmitir no meu curso “Lidando com o Caos – da procrastinação à Produtividade”.

Aza ContabilidadeComo ter a tecnologia como aliada evita procrastinação