Informativos

Controle de gastos deve fazer parte do planejamento financeiro mensal

Realizar um controle de gastos é um dos caminhos mais eficientes para manter a saúde financeira, evitando dívidas e investindo dinheiro com o objetivo de ter bons rendimentos.

Em pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 45,8% dos entrevistados alegaram que não fazem nenhum tipo de controle das finanças. Outros 29,3%, organizam o dinheiro usando algum método pouco confiável, como a memorização ou anotações em cadernos.

O cenário atual exige que as pessoas consigam organizar suas finanças de forma a melhorar a relação entre gastos e quantia recebida. Essa organização, cada vez mais, é o primeiro passo para a construção de uma base sólida, sendo fundamental para evitar surpresas e conseguir lidar com as contas, bem como aproveitar melhor o dinheiro em bons investimentos, por exemplo.

Ainda segundo a pesquisa do SPC Brasil e da CNDL, 51,9% dos entrevistados não se consideram pessoas organizadas financeiramente. Isso quer dizer que há uma necessidade melhorar esse controle de gastos e entender sua importância.

Diferentemente do que muitas pessoas pensam, fazer o controle de gastos não é uma tarefa complicada. Com alguns passos simples, é possível organizar as finanças e realizar um planejamento financeiro qualificado.

Os passos básicos para o sucesso

1. Anotar todos os gastos

Identificar as despesas é a base para um bom controle de gastos. Sem essa identificação não é possível ter certeza sobre o rumo das finanças, além de ser difícil criar ações para evitar gastos desnecessários.

Especialistas indicam que, nesta etapa todas as despesas devem ser identificadas, mesmo as consideradas pequenas. Outra boa orientação é fazer essa anotação antes de gastar o dinheiro, para que isso se torne uma rotina e também sirva para evitar gastos por impulso.

Organizar esses gastos por categorias é um bom caminho para observar melhor cada despesa. Alguns exemplos de categorias são: alimentação, diversão, despesas extras, carro e saúde.

Hoje em dia, é possível encontrar aplicativos e ferramentas que ajudam nesta tarefa. Por outro lado, para quem possui boa organização, as tabelas e planilhas também podem ser eficientes.

2. Reduzir gastos

Anotar os gastos permite realizar uma análise sobre o que é essencial, o que é importante e o que pode ser evitado.

Principalmente quando o objetivo for construir uma saúde financeira mais equilibrada, o controle dos gastos que podem ser descartados é fundamental para que essa quantia seja utilizada em atividades que tragam retorno, como investimentos rentáveis.

O SPC Brasil ainda divulgou que, no país, o cartão de crédito é utilizado por 52 milhões de pessoas. Este tipo de pagamento é um dos principais vilões quando se fala em gastos desnecessários, pois há uma tendência de perder o controle dessas compras e contrair dívidas.

Devido aos altos juros do rotativo, o mais indicado é fazer um controle de gastos rígido do cartão de crédito. E também realizar um planejamento prévio das compras necessárias.

3. Investir uma parte do dinheiro

Após controlar, organizar e reduzir gastos desnecessários, o próximo passo é poupar para investir, pensando no futuro.

Assim, há a possibilidade da construção de uma base financeira mais estável, aproveitando as oportunidades que o mercado oferece. Investir em títulos de renda fixa e também na Bolsa de Valores são caminhos interessantes para garantir melhores rentabilidades para o dinheiro poupado com o controle de gastos.

Portanto, o controle de gastos é um processo essencial para a construção de uma saúde financeira. Alguns passos básicos ajudam a melhorar a organização das finanças. Eles permitem a construção de um futuro promissor mantendo hábitos financeiros mais saudáveis e investindo em alternativas mais rentáveis.

Aza ContabilidadeControle de gastos deve fazer parte do planejamento financeiro mensal