Informativos

Novos franqueadores: Os 10 erros mais comuns

A expansão do setor de franquias tem atraído a atenção de investidores, mesmo em fase de mudança eleitoral. Transformar o seu negócio em franquia é uma oportunidade de empreender e reduzir os riscos. O faturamento no setor teve um aumento de 6,8% no primeiro semestre desse ano, segundo a ABF, Associação Brasileira de Franchising. Uma ótima oportunidade para novos franqueadores.

Durante o processo de criação ou transformação do seu negócio em franquia deve-se conhecer e se esquivar dos equívocos mais comuns que vão além de uma subida ascendente sem planejamento ou controle. Danilo Pace, sócio proprietário da Inova Franquias afirma que durante esse caminho, há diversas armadilhas no franchising: “Devido à alta procura no segmento de franquias há diversas tentações nesse mercado por parte dos donos da marca. Alguns empresários se precipitam em vender uma unidade do seu negócio antes mesmo de formatá-lo corretamente, colocando em risco o sucesso do franqueado e o padrão de qualidade da marca.”

10 equívocos comuns ao franquear sua marca

Franquear o seu negócio sem um plano de negócios para franquias

A franquia é um método rápido de expandir sua marca. Contudo, nem sempre ele é o melhor para os seus negócios. A melhor forma de descobrir se essa deve ser uma opção considerada é avaliar se os seus franqueados teriam o retorno adequado para o investimento realizado. Outro ponto, é descobrir se o seu negócio tem fôlego para fornecer um sistema de apoio a todos os membros da rede e ainda assim ser atrativo financeiramente do ponto de vista do franqueador.

Começar o processo pela venda das unidades

Para alcançar o seu retorno de investimento, existe todo um processo de crescimento que é gradativo. Antes de vender uma unidade a terceiros, é necessário definir bem o que a sua marca promete entregar, o que os futuros franqueados terão que cumprir e qual o perfil ideal do franqueador. É preciso também determinar a melhor estratégia de expansão com um estudo de geomarketing para definir as melhores regiões e o raio de atuação da rede.

Vender em vez de selecionar

É muito difícil negar uma proposta de alguém que quer investir na sua franquia. Mas mais do que quantidade, é necessário ter investidores capacitados que elevarão a sua marca de acordo com o perfil ideal preestabelecido. É crucial saber realizar a seleção correta. A boa escolha maximiza as chances de resultados satisfatórios do franqueado e do franqueador.

Errar nos números

A taxa de franquia não é a única forma de lucro. Ela só é paga uma única vez e é preciso saber utilizá-la da forma correta como por exemplo na implantação da unidade, treinamentos e reinvestimento em marketing. Compreender o que é e como indexar corretamente os royalties é essencial tanto para o interessado em comprar uma franquia quanto para o Franqueador. É preciso projetar de forma correta como seriam os números de uma Unidade Franqueada para planejar corretamente a construção da estrutura Franqueadora e, consequentemente os ganhos do proprietário da marca.

Fazer a oferta errada

Existem diversos tipos de franqueado, desde os recém-chegados no franchising até os empresários mais experientes. Também existem franqueados que tiveram suas bandeiras convertidas. Todos têm visões diferentes, portanto requerem tratamentos diferenciados e exclusivos com o objetivo de clusterizar a rede. Significa deixar todos “na mesma página”. Por isso, é importante definir as estratégias para que não haja desalinhamentos, descontentamentos e perda de padrão da rede.

Entregar a COF e contratos feitos de qualquer jeito

Todo franqueador ao desenvolver sua estrutura de franquia deverá fornecer ao candidato, interessado em sua marca, a Circular de Oferta de Franquia, COF. Esse documento é obrigatório pela lei de franquias. Qualquer erro, falta de clareza ou ocultação de informações pode prejudicar tanto o franqueador quanto o franqueado.

Dimensionar mal as equipes

Tenha em mente que ser um franqueador e ser o dono do seu negócio próprio são duas coisas distintas. É necessário saber gerir essas diferenças de forma correta e eficiente. Dimensione sua equipe para manter a expansão com qualidade.

Contratar qualquer consultoria ou advogado

Para evitar erros estratégicos ou até primários, é essencial contratar uma consultoria especialista em franchising. Para redução de custos, é muito comum empreendedores procurarem diretamente um advogado para realizar a formatação jurídica. É muito improvável que um advogado tenha conhecimento em finanças, planejamentos estratégicos e estudos aprofundados no mercado de franchising. É improvável também que esta documentação será formatada de forma assertiva, pois é um bom plano de negócios que norteará a boa formatação como um todo.

Dimensionar mal o investimento

Se não for planejado adequadamente, muitas surpresas indesejáveis poderão aparecer. Tanto o franqueado quanto o franqueador precisam de capital. O plano de negócios feito de maneira correta irá demonstrar ao futuro franqueado o real valor de investimento que ele precisa. Assim como o capital de giro necessário para manter a operação saudável. O plano irá também projetar os ganhos do franqueador para que possa estruturar tranquilamente toda o sistema de gestão e suporte a seus franqueados.

Cair na inércia

A rede precisa se manter em constante evolução. É fato que para alcançar o sucesso é necessário ser diferente entre os demais players do mercado, assim como ser resiliente. É preciso ser capaz de se adaptar a mudanças, pois o consumidor muda a cada instante. Quem tem visão empreendedora sabe que não é necessário grandes esforços para inovar. Pode ser um novo conceito de produto ou serviço, uma nova fachada e uma reforma, entre outros.

Aza ContabilidadeNovos franqueadores: Os 10 erros mais comuns